Principal
Empresa
Candidatos
Vagas de emprego
Cursos
Contato
12/10/2013 - TERO DE IODO NO SAL DE COZINHA

Anvisa aprova redução do teor de iodo no sal de cozinha

Publicação: 17 de Abril de 2013 às 00:00

Comentários0

Brasília (AE) - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou ontem, por unanimidade, a redução da quantidade de iodo que deve ser adicionada ao sal. A medida, discutida desde 2011, foi adotada em razão da mudança de hábito alimentar do brasileiro que, ao longo dos últimos anos, passou a consumir maior quantidade do tempero e, por tabela, também de iodo.

Pesquisa feita pela Organização Mundial da Saúde (OMS) mostra que o brasileiro é um dos maiores consumidores mundiais de iodo. “Em excesso, ele pode provocar problemas para a saúde”, afirmou o diretor da Anvisa, José Agenor Álvares da Silva. Entre os problemas relacionados ao excesso de iodo estão a tireoidite de Hashimoto, doença autoimune que leva o organismo a atacar a tireoide. O paciente com o problema apresenta cansaço, sonolência e aumento de peso.

A proposta aprovada reduz a faixa de adição para 15 a 45 miligramas de iodo para cada quilo de sal. A relação até agora aplicada é de 20 miligramas a 60 miligramas por quilo. Com isso, o País passa a se ajustar aos parâmetros da OMS.

Pela estimativa do governo, o brasileiro consome, em média, 8,2 gramas de sal diariamente. A OMS recomenda que, para esse padrão de consumo, a faixa de iodação fique entre 20 a 40 miligramas para cada quilo de sal. A resolução passa a valer 90 dias depois da sua publicação no Diário Oficial da União.

Existe apenas uma única função conhecida do iodo no organismo humano: ele é utilizado na síntese dos hormônios tireoidianos (hormônios produzidos pela tireoide, uma glândula que se localiza na base frontal do pescoço): a triiodotironina (T4) e a tiroxina (T3). Estes hormônios têm dois importantes papéis: atuam no crescimento físico e neurológico e na manutenção do fluxo normal de energia (metabolismo basal, principalmente na manutenção do calor do corpo).

Outros informativos
Desenvolvido pela Head Trust